A 'Casa Arco' no Chile























Em 2010, um terremoto ocorrido no Chile, de magnitude e intensidade 8,8 na escala de Ritcher, deslocou o eixo da Terra cerca de oito centímetros. Foi seguido de um tsunami que arrasou boa parte da costa chilena. Ora, foi neste contexto, depois da tragédia, que o escritório Pezo von Ellrichshausen idealizou e construiu (em 2011) esta casa, em Concepción, na região de Biobío.



Com a mão-de-obra reduzida a um conceito, era essencial realizar uma intervenção centrada num caderno de encargos reduzido, na simplicidade da abordagem, no uso de materiais que pudessem conferir ao edifício uma subtileza suficientemente fundamentada na solidez da construção. Portanto, aço, madeira, betão, vidro, acabamentos reduzidos à intervenção mínima, e uma proposta que sugere a utilização dos materiais acabados, com pouco, ou nada, que se siga à sua instalação. Com um efeito psicológico intenso, pela construção em aço, que não só facilitou a instalação das 'peças', como permite aos proprietários conceber um senso de segurança apropriado - embora passível de ser atingido de outras maneiras.


Os autores, Mauricio Pezo e Sofía Von Elrichshausen, já ganharam diversos prémios, onde se inclui o 1º Prémio para o Pavilhão do Chile na Bienal de Veneza de 2008, e a nomeação para o Prémio de Arquitectura Suíço, Mendrisio, em 2010. Têm também uma vasta obra construída, participação em seminários e conferências de arquitectura, obras temporárias, exposições e leccionaram em diversas universidades de todo o mundo. 


A obra construída, a arquitectura, é isto, uma apropriação adequada dos lugares, a sua transmutação, o 'jogo' de entendimento entre a paisagem, a memória, os materiais disponíveis e as opções mais razoáveis, para se permitir realizar um espaço que configure uma delimitação quase transitória, embora completamente enquadrada, nas vicissitudes de um sítio (com uma topografia acentuada), nos objectivos propostos pelo cliente, e na resolução encontrada por parte dos arquitectos, que originou um design ideal. O 'Arco' que garante a convergência suave entre o exterior (destrutível), e o interior (permanente). Mais informações aqui.

Fotos: © domus/umberto bonomo (Todos os direitos reservados/All rights reserved)