O Vinho e o mundo Rural





Era onde devia estar, em plena Mata do Bussaco, a degustar as quatro Maravilhas da mesa da Mealhada (água na boca). Não estando (por impedimentos profissionais), aqui vai: 

 A AMPV – Associação de MunicípiosPortugueses do Vinho, vai organizar um congresso de impacto nacional sobre a temática do mundo rural e o desenvolvimento sustentável dos territórios, tendo como vector principal dessa abordagem, o vinho e toda a economia associada a este sector. 
  
Para que o congresso tenha o maior alcance possível prático, serão desenvolvidas a partir de 2012, 10 fóruns regionais de debate por todas as regiões do país, incluindo ilhas.

O Conselho Executivo do Congresso é composto pelas seguintes entidades: CAP - Confederação dos Agricultores de Portugal, Minha Terra – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local; FENADEGAS – Federação Nacional de Adegas Portuguesas, Fundação da Mata do Buçaco,  IVV – Instituto da Vinha e do Vinho, ANDOVI – Associação Nacional Denominações de Origem Vitivinícolas e o CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas.

Este grupo definiu cinco temas de discussão para os fóruns, cujo objectivo é serem espaços de debate e opinião das realidades e especificidades de cada região. Ao todo, estão envolvidas cerca de 90 entidades que irão dinamizar a reflexão sobre os temas sugerido, a saber:

·         Novos Desafios do Mundo Rural, Ensino e a Inovação;
·         Vinho e Economia Sustentável
·         Vinho, Gastronomia e Turismo
·         Vinho e Comunicação;
·         Vinho, Autarquias e Agentes Locais.

A data do Congresso é 11 de Junho de 2013, durante a 50ª Feira da Agricultura no CNEMA (Santarém), e onde serão apresentadas as conclusões dos 10 fóruns Regionais, reflectindo um país rural real, e profundamente ligado à cultura do vinho.

As temáticas serão abordadas por especialistas, sugerindo linhas de acção e orientações de apoio ao mundo rural, de forma a tornar este sector mais competitivo, quer no mercado europeu quer no mercado global e atractivo ao investimento.

Palavras para quê! Vai ser uma ocasião especial de entendimento, apresentação e compreensão da natureza de um país, dos pressupostos que conferem essa identidade à paisagem, de Norte a Sul, e ao valor patrimonial de uma actividade essencial para o bem-estar de pessoas e territórios.