Pelas fronteiras de Portugal



"Tudo tem início num poema:"Pátria".
"Soube e definição na minha infância. / Mas o tempo apagou / As linhas que no mapa da memória / A mestra palamtória / Desenhou. / Hoje / Sei apenas gostar / Duma nesga de terra / Derrubada de mar".
Em nove linhas de poucas palavras está fechado o primeiro capítulo do livro Portugal e, ao virar a página, surgirá o Minho. Depois, sucessivamente, vêm os retratos das outras treze partes em que Miguel Torga dividiu o País para o contar."

Esta longa viagem de Miguel Torga pela mão de João Céu e Silva (Edições ASA) é uma preciosidade. Dentro de dias escreverei um pouco mais sobre este relato recheado de 'portugalidade' e ignomínia contra o establishment. [Ruben P. Ferreira]

0 comentários:

 

Quantcast