Pois sim, dá-me música

Há semanas que anda por aí grande tirocínio na blogosfera sobre Mário Crespo, o Homem e o Jornalista. O homem é um grande profissional que já deve estar um bocado cansado da canalha, mas a canalha aprecia retirar grandes lições de gestos, expressões faciais e frases ditas (ou não ditas) em surdina. De supostas insinuações. Depois inverte-se o ónus da culpa e assim se chacina alguém que começa a incomodar uma gente com agenda. Agenda bem preenchida, que isto de tratar da vida a elaborar considerações sobre o próximo é, como se vê, um paradigma de seguimento certeiro e empreendedor.

 

Quantcast