Reparações pouco urgentes

Quanto ao novo DN, gostaria de dizer o seguinte: o senhor Oliveira, que enriqueceu a negociar, por exemplo, cadeiras para estádios de futebol em almoçaradas com amigos do peito, ainda não deve ter tido tempo, por exemplo, para se sentar e tentar perceber que a mudança gráfica encetada no jornal foi um desastre, que a Área de Cultura do site é praticamente inexistente e quase nunca actualizada com a devida celeridade, e que a manutenção online de erros ortográficos e de traduções literais de notícias estrangeiras é um garante de falta de qualidade da edição? Lá para Maio, julgo que as atenções redobrarão. Até lá, vamos vivendo assim, com calma e tranquilidade. Haja paciência.

 

Quantcast