O bom samaritano


Miriam Assor, jornalista, cronista do extinto jornal O Independente, expõe neste livro uma «lição do tempo». Acerta as contas de uma homenagem por prestar a Sousa Mendes, por ter resgatado 30,000 judeus à morte. Corria o ano de 1940, quando o cônsul de Portugal em Bordéus, França, decidiu afrontar Salazar. Desatou a assinar vistos a quem fugia de Hitler. Na realidade, ficou perplexo perante a «Circular n.º 14», emitida pelo Ministro da Nação, Luiz de Sampayo, que impedia a concessão dos mesmos, «aos judeus expulsos dos países da sua nacionalidade ou de aqueles de onde provêem» (ponto 2, alínea c)), sem a prévia consulta ao Ministério dos Negócios Estrangeiros. Peremptório, Salazar decidia seguir outros governos europeus e fechar os olhos ao genocídio. Apesar de os judeus não terem sido os únicos alvos da perseguição e fúria do Führer, a actualidade desta biografia é bastante, enquanto ainda há gente a negar o Holocausto. O alvo deste documento político também é Portugal e a estrutura orgânica do Estado, sempre solícita a aceitar as queixas – de Pedro Theotónio Pereira que, com um certo cinismo, denunciou o modus operandi do ‘colega’ –, e a punir os ‘detractores’. O cônsul de 1ª Classe foi condenado a ‘uma pena de um (1) ano de inactividade com direito a metade do vencimento, sendo seguidamente aposentado’. O livro é de uma crueza atroz, pois a história é contada através de documentos oficiais e pessoais, e de alguns textos de enquadramento histórico. Uma entrevista final com Pedro Nuno, um dos catorze filhos do casal Aristides & Angelina, todos emigrados, porque o apelido familiar significava miséria e desemprego, remata a obra, que também inclui a reclamação de Sousa Mendes à Assembleia Nacional, onde denuncia a tal inconstitucionalidade da «circular». De nada lhe valeu. Perdeu o prestígio, a fortuna e os amigos. Acabou sozinho, a queimar as portas de casa na lareira.

Título: Aristides de Sousa Mendes – Um Justo Contra a Corrente

Autor: Miriam Assor

Editora: Guerra & Paz

Preço: €22

Classificação: 5 estrelas


Prós: Cuidado gráfico da edição; fotografias e infografia apresentada

Contras: Não tem



 

Quantcast