Prémio Príncipe das Astúrias em Artes 2009


Norman Foster, arquitecto, foi galardoado com o Prémio Príncipe das Astúrias em Artes 2009. Um prémio que pretende, «contribuir para a elevação e promoção daquilo que são os valores científicos, culturais e humanos que constituem o património universal»,. A atribiução deve-se, «ao alcance universal da sua obra, pelo modo como conjuga qualidade estética, reflexão intelectual e um diálogo entre o território e a cidadania, através de um original domínio do espaço, da luz e da matéria». De relevar, que mora em Londres, no último piso do seu próprio edifício de escritórios, que tem cerca de vinte delegações em todo o mundo e aproximadamente 1,000 colaboradores. Palavras para quê, dirige uma empresa (não um atelier) de arquitectura e tem tido a seu cargo a realização de muitas das maiores obras de arquitectura do mundo. Inventa espaços grandiosos e tem nessa sua grandiosidade -- proporcionada pela grande encomenda -- a característica que o distingue dos demais. Em 1999, foi igualmente galardoado com a mais alta distinção no campo da arquitectura, o Prémio Pritzker. Mais desenvolvimentos aqui.

 

Quantcast