What Are You Doing III - reacções



No WAYD de há duas semanas, que contou com a presença dos arquitectos José Adrião (como convidado) e Balthazar Aroso (que se auto-propôs), este último apresentou um projecto para Angola. Implantado numa paisagem única, que desagua numa praia, com bastantes linhas de água no seu interior, numa topografia bastante acidentada, compreende um programa para hotel e «bungalows». A dado momento, por graça, alguém nomeou o «design» escolhido pelo atelier B(A)a de «future Angola». O autor, em representação da equipa, abespinhou-se com a reacção da plateia. Os arquitectos, ao contrário da malta apenas escritora, dizem logo o que pensam. Não enviam recados em artigos de opinião, não mandam dizer, nem dizem por meias palavras. Atiram-se uns aos outros com uma violência tal que, por vezes, mete pena -- quem é verdadeiramente 'cilindrado' fica, literalmente, em pedaços. Foi o caso. O projecto em causa reflectia sobre um conjunto de questões importantes, como a efemeridade da arquitectura, o alterar-se ou não a paisagem, como realizar uma integração qualificada. Talvez não merecesse críticas tão ferozes (embora justas), porque a reflexão arriscava e propunha objectivos concretos com uma vertente bibliográfica (do estudo do lugar) densa. Apesar da formalização ser negligente para com o tema da evolução do lugar e bastante marcada, talvez excessivamente, pelos aspectos formais, esquecendo quase totalmente aquilo que a motivava: a paisagem. A verdade é que quando um arquitecto decide pensar sobre um lugar, não o faz a curto-prazo -- como o autor referiu, já em modo de 'justificação'. Para quem idealiza, o espaço deve ser para durar. Aspiramos sempre ao «eterno». Aquele estudo-prévio falhava nesse âmbito de apropriação do lugar, que resultará sempre numa solução menos arbitrária. Apesar da má argumentação de alguns, a conversa manteve um nível equilibrado de aspereza para que uma discussão seja profícua, abordando temas tão diversos como os materiais e a 'densidade' na arquitectura, entre outros. Compreende-se. As sessões WAYD são estruturalmente preparadas para aquele tipo de diálogo e crítica, sobretudo em trabalhos com uma gestação tão recente. A próxima sessão ocorrerá no dia 5 de Junho, às 21h, e contará com a presença da dupla de arquitectos convidados, Cristina Veríssimo + Diogo Burnay.

 

Quantcast