Ai que dor!

O que mete pena nesta história, é José Saramago ter cedido à 'provocação' de José Mário Silva. Coisa que nunca tinha realizado, responder a um crítico. Quando este último nota 'O Caderno' (Caminho) com «6,5», numa escala de 0-10, está claramente a espreitar a polémica, que se encarregou de dimensionar através de uma resposta catita. Quem é capaz de notar um livro de crónicas do Rui Tavares com «7,5», na mesma escala, acima do Nobel, quer dizer, está a querer fazer o seu trabalho com extremo cuidado. De resto, é assim que se tem direito a ser notícia, embora o crítico o repudie, que horror, é manifesta falta de mau gosto escreverem uma notícia sobre este assunto, ainda por cima pouco rigorosa (ver comentário). Às vezes, é preciso ter uma paciência santa, de dimensão grandiosa, para conseguir conviver com certas existências.

 

Quantcast