Uma viagem ao fim da história


«A ideia de que Guantánamo é um dos centros na cadeia de conversão de pessoas comuns em terroristas é sinistra. Contudo, é um dos factos descritos nesta biografia das políticas interna e externa norte- americanas. A prisão, justificada ou injustificada, acaba por influenciar a ‘espiritualidade’ dos prisioneiros – que o diga Zak, o conselheiro prisional na matéria. Num relato que mistura poesia e cinema, cultura, sobre assuntos um pouco distanciados da definição etimológica da palavra, umas das partes, «viver no campo: uma semana em Guantánamo», que potencia o título do livro, igualmente filmada para um canal de televisão português, é esclarecedora da natureza ambígua de todo aquele ‘universo’, onde os presos são condicionados por categorias, com um batalhão de guardas a zelar pelos interesses agendados por Washington. O terrorismo ‘pós-moderno’ (a ‘Quarta Guerra Mundial’) é, por essa razão, alvo de uma explicação detalhada e complexa, sendo nomeados os intervenientes, as formas de financiamento, e modos como os agentes organizadores das agências de Segurança têm trabalhado para evitar a explosão de bombas. O livro inicia-se com a descrição biográfica do ‘fenómeno’ Obama, das suas políticas «friendly» e dos valores ideológicos que lhes deram origem. A verificação da análise é realizada pela reunião de depoimentos dispersos (e relacionados), textos de dimensão variável que procuram esclarecer o organigrama estadual e federal dos EUA, e a sua política de Relações Exteriores.
Título: Obama em Guantánamo – A nova segurança americana
Autor: Nuno Rogeiro
Editora:
Sextante Editora
Preço: €19,50
Classificação: 5 estrelas

Prós: Rigor e pragmatismo da análise jornalística e política; apresentação de fontes bibliográficas; anexos e fotografias
Contras: Nenhum»

[texto publicado no nº 76 (Junho de 2009) da Revista Os Meus Livros]

 

Quantcast