Metáfora sobre a Arte de Cozinhar, o Belo, o Prazer e tudo o envolvido na Grastronomia 'e seus molhos'


«O que se Leva desta Vida», uma co-produção do Teatro São Luiz com o Mundo Perfeito, é mais do que uma peça de teatro. É um statement sobre o estado das coisas na alimentação. Desde a equipa de produção, à dramaturgia e consultores, é tudo luxuoso. Digno de cinco estrelas Michelin, se tratássemos da qualidade do restaurante, mas digno também por ser um espectáculo que pode e deve ser exportado. O risco de cozinhar em cena, a ambiguidade que os dois cozinheiros (personagens) principais reproduzem, numa luta intensa por uma postura decisiva sobre a arte de confeccionar, merece respeito. A peça reproduz com uma fidelidade incrível o ambiente de uma cozinha de um restaurante gourmet, a vida, esse pedaço de todos e que a todos diz respeito, descrito com um rigor intenso e, a maior parte das vezes, num registo cómico, divertido ou, simplesmente, convidativo a uma reflexão mais profunda. Sim, cozinhar tem a ver com a vida, e isso é determinante, porque a forma de viver tem uma intensidade filosófica extrema (ou não, depende da disposição, como se verá na peça). Isto a par do ambiente, das marcações, de tudo o que esteve envolvido na base (o chamado ‘trabalho de sapa’) deste exercício de inteligência. O texto foi tratado por Gonçalo Waddington, João Canijo e Tiago Rodrigues, o primeiro e o último, actores principais da peça, o do meio, responsável pela dramaturgia, o que se entende perfeitamente. João Canijo é um realizador conhecido não só pelo seu trabalho de investigação sociológica (antropológica e afins), mas também pela carga dramatúrgica com que encena todos os seus filmes. Para além disso, é um connaisseur das lides gustativas ao nível da haute cuisine. Alguns dos consultados para este trabalho foram, Carmen Ruscalleda, do Restaurante Sant Pau, Juan Mari Arzak, do Restaurante Arzak, Martín Berasategui do Restaurante Martín Berasategui e Santi Santamaria, do Restaurante Can Fabes. José Avillez também deu uma ajuda, entre muitos outros, como Frederico Ribeiro e Diana Carvalho, chef’s presentes em cena, esta última a dar origem a um dos momentos mais inauditos, quando os dois chef’s principais lhe perguntam se foi ela a autora (repare-se no requinte) do Risotto, ao que anui, para de seguida lhe ser dito em tom jocoso, ‘Está muito bom, sim senhor, qualquer dia temos que te despedir’. É isto, mais coisa menos coisa, que atravessa a hora e meia de espectáculo. Entrevistas, estágios compulsivos, contratação de ‘escravos’ (os figurantes) para transpor para o público uma experiência inesquecível. Ficam as perguntas: deve-se cozinhar pelo Prazer de preparação de um prato, pela sua raiz tradicional (embora adaptada), é a diferença que confere credibilidade e distinção a um produto regional, ou apenas interessa o aspecto estético, o Belo, do prato confeccionado com a última tecnologia tecno-emotiva, cuja confecção se perfaz pela capacidade de usar plenamente o azoto líquido? O verdadeiramente real é a 'chispalhada', a feijoada e o prego como não há em mais lado nenhum (de Lisboa), ou as 'variações sobre a alheira: areias, crocantes, gelatinas e gelado'? A melhor refeição e/ou experiência gustativa é dada pelo pato do aviário, ou pela caça genuína? As respostas estarão ao dispor dos mais ariscos (e curiosos) até ao próximo domingo, dia 22, no restaurante «Cópia», na Sala Principal do Teatro São Luiz, em Lisboa. De quarta a sábado, às 21h e Domingo, às 17,30h. E, por certo, em dúzia e meia de reposições que se seguirão.
Ficha Técnica

TEXTO
GONÇALO WADDINGTON
JOÃO CANIJO
TIAGO RODRIGUES

ENCENAÇÃO E INTERPRETAÇÃO
GONÇALO WADDINGTON
TIAGO RODRIGUES

DRAMATURGIA
JOÃO CANIJO

COLABORAÇÃO ARTÍSTICA
THOMAS WALGRAVE

CONSULTORIA
DIANA CARVALHO
FREDERICO RIBEIRO

FIGURANTES
ARIKSON MARTINS
BRUNO CANAS
CLÁUDIA COSTA
EMERSON LOPES
MARIANA DE SAMPAIO GONÇALVES
TIAGO CARDOSO
VÂNIA BORGES
VÍDEO
BRUNO CANAS

PRODUÇÃO
MAGDA BIZARRO

ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO
MARIANA DE SAMPAIO GONÇALVES

ENTREVISTAS E
COLABORAÇÃO NA PESQUISA
CARME RUSCALLEDA
(Restaurante Sant Pau)
JUAN MARI ARZAK
(Restaurante Arzak)
MARTÍN BERASATEGUI
(Restaurante Martín Berasategui)
SANTI SANTAMARIA
(Restaurante Can Fabes)

FOTOGRAFIA DO CARTAZ
RITA CARMO

CO-PRODUÇÃO
SLTM ~ MUNDO PERFEITO

RESIDÊNCIA DE CRIAÇÃO
ESPAÇO ALKANTARA

Classificação: (0-5) Cinco estrelas (mais as Michelin)

 

Quantcast