Uma força incontestável

Uma marca pode ser muito boa, como criar uma relação distanciada com os seus clientes. A regra, criar uma ligação emocional com quem compra, está apenas ao alcance de alguns. Porquê? Bem, lucros, bem-estar e vontade de pertencer à classe de pessoas com quem se partilha o gosto por uma marca, são os objectivos primordiais de quem deseja estabelecer no mercado uma empresa com dimensão comercial que corresponda aos desejos dos seus proprietários e, por sua vez, isto reproduz-se nos clientes. Em quem compra. Convém, também, que o proprietário saiba disso, pois disso resulta uma atitude bastante mais consistente e cadenciada, em vez do tradicional, vamos lá ver se isto dá e se não der, ou melhor, se der para o torto, abre-se falência e vamos à próxima. Para isso, e como nos diz este livro, é essencial criar um espaço de partilha, sedimentar a marca com uma amplitude estética, de conteúdo e de direcção que crie nos clientes o desejo de pertença, que capacite os incapazes, os distraídos e o demais curiosos, a entender o conceito desenvolvido. O que esta súmula representa, em termos racionais, pode funcionar ou não. Depende da captação. Como diz o livro, a formação de um conceito credível depende de factores diversos que os clientes identificam ou desprezam. Qual culto, uma marca pode exteriorizar-se e trancar o conceito na mente do cliente, ou não conseguir nada disso, e ser um fiasco completo. A comparação muitas vezes evocada com o grupo religioso dos mórmons, embora exagerada e pouco apropriada, porque direccionada, serve o propósito de explicar detalhadamente a dimensão de poder que um culto sectorial, organizado com um objectivo comum e, no caso, nada espiritual, detém. A maior parte dos capítulos auxilia a compreensão sobre o fenómeno de implantação de uma marca e os pressupostos de que depende o seu sucesso. O restante serve para quem desconhece a religiosidade semântica que por vezes faz tropeçar, a ideia de uma fé (fezada) na subida na hierarquia.  
[Douglas Atkin, Edições Tinta-da-China, Lisboa]

 

Quantcast