Matrix Reloaded













De que matéria somos feitos? Para este escritor/jornalista do The Washington Post, a matrix, o desenho do nosso incosciente, faz-nos agir de uma determinada maneira. A base de cada decisão, acção, pode ser parametrizada, embora nem sempre explicável. O livro teve origem numa conversa tida com Mahzarin Banaji, psicóloga no Departamento de Psicologia da Universidade de Harvard. Foi o mote para uma dissecação bastante consistente, cheia de passagens humorísticas, sobre a razão do ADN de cada pessoa se portar como um ‘ilusionista’, sobretudo quando nos referimos ao centro das emoções. Desde o capítulo inicial, em que uma mulher se esquece de um detalhe fundamental para identificar o seu agressor, permitindo que um homem inocente seja preso, até ao modo como certos grupos de adultos e crianças escolhem os amigos, tendencialmente brancos, ou negros, ou amarelos, sem que isso seja um sinal claro de racismo, mas uma consequência da forma como a sociedade se estruturou. A intenção do autor vai um pouco mais longe, detectando as razões por detrás do bombismo suicidário, ou de como os políticos emergem na mente dos povos como a solução para os seus problemas – Obama, Clinton, entre outros, levando-os a eleger uns em detrimento de outros. A questão é: o cérebro é mestre em heurística, o que sugere uma variação comportamental muito relevante.


Título: O Cérebro Oculto
Autor: Shankar Vedantam
Tradução: Antónnio Costa Santos
Editora: Guerra & Paz
Classificação: 5

Prós: Franqueza da argumentação; diversidade temática da análise; coerência narrativa
Contras: Não tem

 

Quantcast