«O Mar Tudo Cura»
















Platão sabia que a água do mar tinha segredos, e o poder de curar algumas maleitas do homem. Conhecia com detalhe os efeitos daquela quando em abundância no corpo, ia a banhos regularmente e, por isso, mantinha o espírito saudável. Ainda hoje, o que distingue a qualidade dos spas é a água utilizada nos tratamentos. Embora o ambiente seja importante, com a decoração, as velas, os ambientes silenciosos e as massagens com óleos perfumados regeneradores a constituírem um elemento que contribui para aliviar da loucura do dia-a-dia, nada substitui a utilização de água do mar a 34 graus de temperatura. Essa é uma das razões para dirigir-se em romaria ao Centro de Talassoterapia da Costa da Caparica. Uma água do mar pura, é ali recuperada para a realização de tratamentos que vão desde a passagem por uma piscina multijactos, que reprime qualquer tensão tida nas articulações, com uma cascata que relaxa os músculos das costas e do pescoço, até à hidromassagem com jactos submarinos para as articulações das pernas  – uma loucura – que depois se repercute, ou melhor, tem continuidade, numa outra tina própria para o efeito. É pensar na canoa lá de casa, com uns míseros seis, seis, jactinhos, e pensar no que farão 180, repito, 180 jactos a debitar sobre um corpo. Refiro-me a um banho com algas numa banheira que tem os tais inúmeros jactos (gosto desta palavra) por milímetro quadrado. Dezoito minutos depois desse início de banho, e se ainda não estávamos, passamos ao estado zen. Outros tratamentos haverão que farão as delícias dos comparsas que ali vão. Envolvimento com algas. Massagens chocantes, que entre outras opções, podem incluir um tratamento ideal para mulheres: pressoterapia. Consiste no envolvimento do corpinho, nas suas zonas mais celulíferas, ao nível da adiposidade do tecido fibroso, o que costuma ser relevante para manter os glúteos atinados. Dói, mas o resultado compensa: a beleza. Mais: aerossóis para problemas respiratórios, manilúvio (envolvimento das mãos com algas), tratamentos de estética, nutricionismo, acupunctura e as habituais, sauna e banho turco, com apoio de duche e ginásio. Creiam-me, tudo isto é suficiente para tirar de cima o peso do stress. Mas, o golpe fatal, quer dizer, a machadada final em qualquer pretensão que o corpo ainda tivesse de manter-se em estado de alerta, é abafada pelo duche a jacto. Convém ter presente o seguinte: é possível marcar o tempo do duche a jacto na vida de um ser humano. Antes do duche a jacto (A.D.J) e depois do duche a jacto (D.D.J.). Que me perdoem os spas finos, aqueles quinze minutos de Duche Escocês (pudera!) com Água do mar projectada à velocidade de um encontrão num jogo de rugby, não só adelgaçam a derme, como desconstroem todos os nós do corpo. Conselho terapêutico: de dois em dois meses, perder o amor a uma centena de euros (ver promoções jeitosas) e fazer todos os tratamentos. É como ir duas semanas de férias.

 

Quantcast