Jogos de luz



















A monumentalidade das obras de Andrea Palladio impressiona. La Rotonda (Villa Americo Capra), um palácio com uma função puramente lúdica, localizado em Vicenza, Itália, mantém uma enorme imponência, pelo uso dos materiais, com a pedra em lugar de destaque, as pinturas figurativas (frescos) executadas nas paredes, com a morfologia do edifício, simétrico nas suas proporções, com a adopção da planta central relacionada com a ‘centralidade’ relativamente à paisagem, e a uns jardins excepcionais que o ladeiam – as janelas não podem ‘viver’ sem o horizonte que as compõe, deixando o interior ser invadido por esse espaço de luz. O uso da cantaria nos revestimentos confere ao edifício uma ‘massa’ de portento, que apesar da passagem do tempo, mantém a sua originalidade e ‘espessura’. A cozinha, as escadas de acesso aos diversos pisos, executadas pela colocação organizada de grandes pedras, as vistas para o exterior, numa localização que sugere uma estreita relação com o Divino, quase no limite do horizonte, ampliam esse jogo formal. Nada de novo. Palladio começou a vida como aprendiz de arquitecto e canteiro, com Bartolomeo Vanazza da Sossano, em Itália. Ao fim de um ano entrou para a corporação dos pedreiros e canteiros de Vicenza, sendo depois admitido na oficina de Giovanni di Giacomo da Porlezza, em Pedemuro, tendo nesse processo granjeado um extraordinário sentido pelas proporções, num ritmoque interpõe uma certa noção de romantismo, no aperfeiçoamento e desenvolvimento do pormenor, em temáticas diversas e ricas, que reforçaram a ideia da centralidade e verticalidade do que conseguiu edificar. Veja-se, por exemplo, a ‘abertura’ do edifício à pluviosidade, realizada pelo tecto, água que ao entrar é direccionada para uma zona de recolha executada para o efeito, com uma grelha de belo efeito, construída em aço, fixa no pavimento da grande sala central, e de uma beleza inigualável. Fundamental e decisivo para a fixação de uma certa conceptualização artística e académica do Classicismo na Europa, Andrea Palladio deixou uma marca indelével nesse panorama, com obras, villas, palácios e outros edifícios com uma conotação mais religiosa, todos caracterizados pela reprodução de um ambiente cenográfico de grande valor, um cenário dinâmico, estimulante e ao mesmo tempo, íntimo. O ornamento das fachadas, o gosto pela escultura, e o trabalho específico na pintura, e na moldagem da pedra, foram apenas possíveis pela sua versatilidade, e pela capacidade de integrar os edifícios com a sua envolvente geográfica com a Natureza. Numa colina, sobre todas as coisas, e ao mesmo tempo, sem oprimi-las.

 

Quantcast